top of page

Ao reconhecer jovem, ROMU o aborda e encontra drogas

Judiciário decretou a prisão preventiva por reincidência


Era tudo bem conhecido, desde o local até o jovem de 21 anos. Bastou os guardas civis municipais baterem os olhos para reconhecê-lo e partirem para a abordagem.


Guilherme Augusto da Silva estava numa rua do Jardim Santa Elisa e, de acordo com os GCMs, percebeu que seria abordado. Ele tentou de livrar das 112 porções de drogas, mas não conseguiu. Foi autuado em flagrante e preso. À Polícia Civil, ele deu uma versão intrincada para tentar livrar-se da acusação.


Reconhecido

No final da tarde da sexta-feira 28, a Ronda Ostensiva Municipal passava pela rua João Vicente Ferreira. No início da rua eles reconheceram Guilherme.


Segundo a equipe especializada da GCM, ele segurava um invólucro azul e, vendo a viatura aproximando-se, jogou-o na garagem de uma casa.


Iguaizinhas

Ao abordar o jovem, os guardas só encontraram duas porções de crack que ele estava segurando. No invólucro dispensado na garagem havia 18 porções de crack idênticas às encontradas com Guilherme.


Na garagem os GCMs também encontraram uma sacolinha plástica com 266 porções de cocaína, 16 de maconha e 92 crack. De novo as porções de crack eram iguaizinhas às apreendidas com o jovem e no invólucro azul.


Ele nega

Guilherme foi levado à Delegacia de Polícia Civil onde o delegado de plantão, Wesley Franklin de Paula, determinou a autuação em flagrante sob suspeita de tráfico de drogas. Assistido por sua advogada, ele negou o crime.


Em sua versão, ele estava “soltando pipa na frente da casa de sua avó” quando a equipe da ROMU apareceu. Um homem que Guilherme não conhece correu e os GCMs foram atrás dele e o algemaram.


Porém — disse o autuado —, apesar de terem encontrado drogas com aquele homem, os guardas decidiram libertá-lo e resolveram prender Guilherme, atribuindo a ele a posse das 112 encontradas com outro. Onde os guardas apreenderam as drogas, segundo autuado, “existe uma biqueira que já é conhecida de todos que moram ali”.


Não convenceu

A versão do autuado é, no mínimo, criativa. Porém, não convenceu nem o delegado nem o Judiciário, que realizou a audiência de custódia no sábado 29.


O juiz de Direito do Plantão Judiciário de Itu, Cláudio Campos da Silva, homologou o flagrante e transformou-o em prisão preventiva. Além de citar a considerável quantidade de drogas apreendidas, o juiz justificou sua decisão dizendo que “o indiciado possui diversas passagens anteriores pelo mesmo delito sendo, inclusive, reincidente específico” [cometeu várias vezes o mesmo tipo de crime].

2 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page