top of page

Duas mulheres tentam fugir depois que o raio X do CPP descobriu drogas com elas

Ambas disseram ter sido convencidas por uma autônoma, que saiu quase ilesa da ocorrência


Duas mulheres foram autuadas em flagrante no domingo (28) quando tentavam entrar com drogas no Centro de Progressão Penitenciária. Interrogadas pela Polícia Civil, as duas acusaram uma terceira visitante de tê-las convencido a tentar entrar com as porções.


Os agentes penitenciários pediram apoio à Guarda Civil Municipal, que deteve as três mulheres e apreendeu 136,6 gramas de cocaína, 247,3 gramas de maconha e 4,9 gramas e ecstasy. A dupla autuada em flagrante vai responder ao processo em liberdade; a 3ª mulher aparece na ocorrência como suspeita.


Conferentes

As mulheres vieram a Porto Feliz para visitar os companheiros que cumprem pena no CPP Dr. Erwin Hoffgen. Por volta das 10h, quando passaram pela máquina de raio X corporal (body scanner), a equipe do CPP viu os volumes suspeitos.


As visitante são duas conferentes, uma de 29 anos moradora em Francisco Morato (Região Metropolitana de São Paulo) e a outra de 23 anos residente em Itupeva (Região Metropolitana de Jundiaí). Em seu depoimento à Polícia Civil, ambas disseram ter saído às pressas do CPP quando as drogas foram descobertas.


GOP

A GCM foi acionada e a equipe especializada do Grupo de Operações com Cães atendeu ao chamado. Os guardas detiveram primeiro a mulher de 29 anos. Ela estava junto ao carro de aluguel que havia trazido as suspeitas até Porto Feliz. Com esta mulher foram encontrados 4,9 gramas de ecstasy, 102,3 gramas de cocaína e 119,9 gramas de maconha.


A equipe já estava com a mulher na Delegacia de Polícia Civil quando recebeu a informação de havia outra suspeita com drogas. Os GCMs voltaram rapidamente ao CPP e encontraram a jovem de 23 anos no estacionamento da unidade. Ela tinha 34,3 gramas de cocaína e 127,4 gramas de maconha.


Tentou fugir

De acordo com o depoimento dos guardas, as drogas foram detectadas pelo body scanner no órgão sexual da segunda suspeita. Ela negou-se a acompanhar as agentes penitenciárias até uma sala para passar pela revista íntima e fugiu da unidade, sendo detida do lado de fora do CPP.


À Polícia Civil, as duas mulheres contaram a mesma história. Quando já estavam no CPP, uma autônoma de 30 anos as convenceu a entrar na unidade com as drogas. A autônoma havia viajado com elas até Porto Feliz. Ambas negaram ter recebido dinheiro para fazer isso e disseram que havia uma “quarta pessoa” com a autônoma.


Ela nega

A autônoma, moradora em Itupeva, negou as acusações. O motorista do carro, um homem de 47 anos, de aluguel nada acrescentou.


Ele pegou uma passageira em Itupeva e as outras três em Jundiaí. Cobrou R$ 120 de cada uma pela viagem de ida e volta e só viu a prisão de uma delas, a conferente de 29 anos que, segundo o motorista, levava as drogas numa sacola.


Custódia

Na tarde desta segunda-feira (29) ocorreu a audiência de custódia. A juíza de Direito da 2ª Vara, Raisa Alcântara Cruvinel Schneider, homologou o flagrante e decidiu que as duas mulheres responderão ao processo em liberdade.


A juíza considerou que elas têm residência fixa, empregos e não possuem “registros criminais que permitam a conclusão de se tratarem de pessoas que podem colocar em risco a ordem pública”. A liberdade está condicionada a quatro medidas cautelares, entre elas a proibição de visitar unidades prisionais.


A autônoma de 30 anos, acusada de ter convencido as outras duas a transportar as drogas, é considerada pela Polícia Civil como suspeita e aparece no boletim de ocorrência como “investigada”. A quarta mulher citada pelas autuadas e pelo motorista não foi identificada.


Como de praxe, os detentos que receberiam as visitas serão submetidos a uma sindicância para que se apure se sabiam das intenções das companheiras.

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page