top of page

Tinha que dar azar: dia 13, às 13h, na Praça Treze de Maio


O homem de 29 anos deu azar. No exato instante em que guardava a mercadoria chegou a equipe especializada da Guarda Civil Municipal.


A data desta segunda-feira com certeza não ajudou e o homem, depois de autuado em flagrante, teve a prisão preventiva decretada.


Aliás, dia, hora e local foram aziagos: dia 13, às 13h, atrás da praça Treze de Maio (Conjunto Habitacional Agostinho Alcalá). A Ronda Ostensiva Municipal estava em patrulhamento pela região, de olho nos pontos de tráfico bem manjados, quando viram o homem colocando algo dentro de um tijolo.


Os guardas pararam para ver o que era. O suspeito logo viu que se ria abordado e saiu caminhando rapidamente na direção contrária. Conseguiu chegar à rua Peres Ventura, onde ocorreu a abordagem.


Na lata

Perguntado sobre o que tinha guardado no tijolo, o suspeito respondeu na lata: “Se não achou nada comigo, então não é meu!”. A ROMU não quis discutir a tese legal do homem e voltou com ele ao dito tijolo. Dentro dele havia dez porções de cocaína.


Na Delegacia de Polícia Civil, ele foi interrogado pela equipe da delegada Márcia Pereira Cruz. “Fui abordado longe de onde a droga estava”, insistiu J. B. S. Ele negou ser traficante e disse trabalhar como ajudante sem carteira assinada. As explicações não convenceram a de legada, que determinou a autuação em flagrante por tráfico.


No final da manhã da terça-feira (14) ocorreu na 1ª Vara da Comarca a audiência de custódia. O juiz de Direito Diogo da Silva Castro transformou o flagrante em prisão preventiva do autuado.

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page