top of page

Porto-felicense recebe na Assembleia Legislativa o Prêmio Inezita Barroso

O trabalho de João Carlos Martinez como defensor da música raiz foi reconhecido e aplaudido pelos deputados





Na sexta-feira (1º) o comunicador porto-felicense João Carlos Martinez recebeu o Prêmio Inezita Barroso em sessão solene realizada na Assembleia Legislativa do Estado. A entrega dos prêmios ocorreu pela manhã e foi comandada pela deputada estadual Professora Bebel e pelo ator Jackson Antunes, ele também premiado. Esta foi a 7ª edição do Prêmio Inezita Barroso.


Além do porto-felicense, foram homenageados 19 pessoas ou grupos musicais cujo trabalho de preservação e divulgação do universo caipira paulista foi reconhecido e aplaudido pelos deputados do Estado em sessão solene.


Identidade

“A cultura é a base para que a gente se una e ao mesmo tempo é a nossa identidade”, disse Professora Bebel (PT), que preside a Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa.


João, dono de um vasto currículo nesta área, recebeu o prêmio como defensor da música raiz. Ele apresenta o programa Sertão Ainda é Sertão na Clube FM 87,9 em Porto Feliz e foi indicado pelo deputado estadual Jorge Caruso (MDB). A indicação de Caruso contou com o apoio da Prefeitura de Porto Feliz.


O Oscar

“A emoção que estou sentindo é inenarrável!”, disse João Carlos Martinez. “Hoje eu recebi um prêmio que nunca imaginava em ganhar! Mas pelo esforço e persistência, e ouvindo grandes artistas da música raiz que tive contato e os ouvintes que me incentivaram a continuar, sem dúvida nenhuma é o Oscar da música raiz e o presente veio hoje”.


Além de João e Jackson Antunes, premiado por “personificar e difundir o sentimento caipira”, também recebeu o Prêmio Inezita Barroso a única filha de Tião Carreiro, Alex Marli Dias. Ela está concluindo a biografia do violeiro, falecido há 30 anos. A obra será lançada no primeiro semestre de 2025.


As estatuetas do prêmio foram entregues pelos deputados Lucas Bove (PL), Marcia Lia (PT) e Dr. Eduardo Nobrega (Podemos). O ex-deputado Marcos Martins, autor do projeto de resolução que deu origem ao Prêmio, participou também da 7ª edição.


Inezita

Inezita Barroso nasceu em São Paulo, no dia 4 de março de 1925, e faleceu aos 90 anos. Considerada um dos maiores ícones da música caipira, Inezita também era compositora e instrumentista, apresentadora e pesquisadora do folclore brasileiro. Entre 1980 e 2014, ela apresentou o Viola, Minha Viola, programa da TV Cultura. Uma das músicas mais conhecidas gravada pela cantora foi A Moda da Pinga. Além disso, em 2014 Inezita foi eleita para assumir uma das cadeiras da Academia Paulista de Letras. Faleceu em 2015, devido a uma insuficiência respiratória.

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page