top of page

A pré-campanha eleitoral está com cara de campanha pra valer

Pré-candidatos estão em campo com toda a desenvoltura e o jogo está sendo dominado por dois grupos bem definidos




A pré-campanha dos prefeituráveis tem ganhado ares de campanha pura e simples já nessa fase. Com os grupos definidos, apesar de ainda restarem cinco pré-candidatos a prefeito — Célio Peixoto (Republicanos), José Geraldo Pacheco da Cunha Filho (Gerão União Brasil), Willians Melaré (PRTB), Erval Steiner (Agir) e Nídia Motta (PV) —, a movimentação tem existido mais entre os dois grupos principais.


Unimed

Lançado como pré- -candidato a vice-prefeito, o vereador Marcelo Pacheco comentou em sessão de Câmara da segunda-feira 15 que faz três meses que os médicos de Porto Feliz não estariam realizando cirurgias na Santa Casa pelo convênio da Unimed. Segundo ele, somente o atendimento de urgência e emergência foi mantido.


Sem resposta

Ainda de acordo com ele, o presidente da Unimed Sorocaba estaria tentando fazer um contato com a diretoria da Santa Casa para resolver a questão, mas não estaria sendo atendido.


Nota

A Santa Casa se manifestou em nota publicada nesta semana em suas redes sociais. De acordo com o hospital, o que houve foi uma paralisação temporária dos procedimentos cirúrgicos eletivos (programados) para usuários do convênio Unimed Sorocaba.



Discrepância

Motivo: segundo a direção da Santa Casa, “foi identificada uma discrepância gigantesca entre o valor repassado pelos procedimentos realizados”.


Revisão

Diante das “irregularidades” apontadas, o hospital promoveu a revisão do contrato. “Os valores revistos e novos termos foram emitidos e aguardam as assinaturas, consignando que os procedimentos e cirurgias eletivas foram brevemente suspensas, mas que retornarão imediatamente, frisando que os demais procedimentos continuaram no período”, complementa o comunicado da Santa Casa.


Sem prejuízos

O hospital salientou ainda que não houve prejuízo para os conveniados e médicos da Unimed, “uma vez que os procedimentos e atendimentos eletivos poderiam ter sido realizados nas proximidades, nos A pré-campanha eleitoral está com cara de campanha pra valer Pré-candidatos estão em campo com toda a desenvoltura e o jogo está sendo dominado por dois grupos bem definidos demais hospitais e clínicas conveniadas”.


Nas redes

Nas redes sociais, a nota foi compartilhada e espalhou-se pelos grupos, dividindo opiniões e evidenciando que a população está atenta à movimentação política dos ditos pré-candidatos.


Entrevista

Na rádio 93 FM, o prefeito Antônio Cássio Habice Prado (Dr. Cássio/PL), em entrevista ao radialista Ricardo Ribeiro, também citou o episódio, mas preferiu somente enfatizar o bom trabalho realizado pelo hospital e por seus profissionais.


Em defesa

Sobre os convênios, Dr. Cássio disse que a Santa Casa recebia dos convênios um valor abaixo do que é pago pelo SUS. O SUS é famoso por pagar valores muito baixos pelos serviços hospitalares.“A diretoria defendeu o hospital, que é filantrópico”, comentou.


Anúncio

Ainda na entrevista à rádio local, Dr. Cássio confirmou que o secretário de Serviços Públicos, Lucas Rodrigues, é o pré-candidato a vice-prefeito por seu grupo.


Urna eletrônica

Nestas eleições, a urna eletrônica completa 24 anos de uso. Ela entrou em cena em 1996, sendo utilizada por apenas 13 municípios no Estado de São Paulo. Em sua primeira edição, o equipamento foi oferecido apenas a cidades com mais de 200 mil eleitores.


Expansão

Já no ano de 1998, 87 municípios fizeram uso da urna eletrônica, em locais que apresentavam acima de 40.500 eleitores.


Em SP

Somente a partir de 2000 que todos os municípios de São Paulo passaram a utilizar-se da urna eletrônica. Na época, mais de 24 milhões de eleitores praticaram o voto com o equipamento.


Para 2024, estima-se que 33,98 milhões de pessoas estejam aptas a votar no Estado de São Paulo, divididas em 393 zonas eleitorais, 10.938 locais de votação e 102.370 seções eleitorais.


E a esquerda?

O cenário atual dos pré-candidatos demonstra que não haverá um candidato da esquerda na disputa pelo Executivo. Alguns comentários de rede social, no entanto, continuam insistindo que haverá.


À direita

Se analisarmos que Célio Peixoto (Republicanos) — que conta com o aceno do prefeito Dr. Cássio Prado (PL) — e José Geraldo Pacheco da Cunha Filho (Gerão/ União Brasil), são da direita; e Erval Steiner também representa a direita, assim como Willians Melaré.


Drª Nídia

Já Drª Nídia Motta (PV) está mais para o centro, seguindo, inclusive, uma tendência do próprio presidente Luiz Inácio da Silva (Lula/ PT), que para alguns analistas políticos está exercendo hoje um Governo mais de centro-direita do que de esquerda (não é mesmo, Zé Dirceu?).


Órfãos

De modos que (como diria um ex-vereador de Porto Feliz), como vemos, há apoio da esquerda, mas sem pré-candidatos representando, de fato, a esquerda.


Polos

Também escutei “por aí” que haverá uma polarização entre Célio Peixoto (apontado à sucessão de Dr. Cássio) e Gerão Pacheco (que tem como principal cabo eleitoral o irmão Dr. Marcelo Pacheco). Ora, pois, se polarização são polos e, logo, opostos, os dois, até pela composição de seus aliados, são da mesma direita, portanto, sem polarização.


Divisão

Haverá, sim, na medida que as candidaturas forem possíveis, a divisão clara de grupos. Realidade é que os demais pré-candidatos devem se mostrar muito mais para entrar numa concorrência, de fato, com esses dois nomes.


Podcast

Gerão Pacheco concedeu entrevista como pré-candidato a prefeito ao Vamos Conversar, podcast do radialista e jornalista Antonio José Netto. O programa foi ao ar nesta quinta-feira (25).


Afastamento

Durante quase uma hora de entrevista, o pré-candidato falou sobre sua participação no Governo de Dr. Cássio, do seu afastamento quando não foi escolhido como sucessor do atual prefeito e das diferenças que tem, juntamente com seu irmão, da forma como o município é administrado.


Projetos

Ele citou temas da Saúde, Habitação, Urbanismo, entre outros, e de que forma pretende reunir uma equipe para, do seu ponto de vista, melhorar a cidade.


Continua

Em entrevista à radialista Val Roma, na rádio Clube FM, Willians Melaré confirmou que segue pré-candidato a prefeito. Segundo ele, “a política tem seus desafios, mas a vontade e o desejo e a oportunidade de fazer o bem supera qualquer desafio. Vamos continuar nessa pré-campanha”.




Causin

Drª Nídia Motta (PV) ainda não sinalizou sobre quem comporá chapa com ela. Houve conversa nos bastidores de que Claudimir Causin poderia ser o seu pré-candidato a vice. Ao que parece, as negociações não caminharam para um resultado positivo e ela segue em sua pré-campanha.


Palestra



No fim de semana, inclusive, promoveu reunião que contou com palestra de Guilherme Guimarães Coan. O advogado comentou em suas redes sociais que “o encontro serviu para eu desenferrujar um pouco, relembrar e compartilhar alguns conhecimentos e experiências dos tempos em que atuei no Direito Eleitoral. É importante que aqueles que almejam concorrer a cargos públicos possam com antecedência ter noções do que é permitido na batalha eleitoral”.


Erval

O também pré-candidato a prefeito Erval Steiner (Agir), além de lançar aos poucos seus pré-candidatos ao Legislativo, participou de reunião de seu partido para alinhamento e tira-dúvidas dos próximos episódios dessa pré-campanha.




Google

O Google anunciou que, a partir de 1º de maio deste ano, não vai permitir mais impulsionamento de conteúdo político. Os adeptos da ferramenta ficaram decepcionados.


Ads

Os muitos profissionais que se utilizam do tráfego pago, o Google Ads, a ferramenta de anúncios, não poderão mais promover conteúdos que falem sobre candidatos e do processo eleitoral. Assim, o impulsionamento desses temas permanecerá vetado no Google, YouTube e outros serviços que pertencem ao gigante de buscas.


Aviso prévio

O Meta, por sua vez, já havia anunciado em fevereiro que adotaria a postura de permitir que o conteúdo político publicado chegasse somente aos seguidores do perfil, não mais facilitando a entrega das publicações a todos das redes Instagram e Facebook.


Sem clareza

No entanto, a empresa ainda não se manifestou sobre se adotará a mesma postura do Google em não permitir conteúdo pago.


Motivo

O Google diz que segue a resolução nº 23.732 do TSE, que determinou que os provedores de propagandas pagas na internet devem “manter repositório desses anúncios para acompanhamento, em tempo real, do conteúdo, dos valores, dos responsáveis pelo pagamento e das características dos grupos populacionais que compõem a audiência”.


A big tech entende que seria inviável moderar tantos anúncios em uma eleição que ocorrerá em mais de 5 mil municípios. A empresa também teme que a amplitude do conceito traga insegurança para a moderação.


Tá no fim

O prazo para tirar a primeira via do título, regularizar a situação eleitoral ou transferir o domicílio eleitoral termina no próximo dia 8 de maio.


Jovens

O alistamento dos jovens que completam 16 anos até o 1º turno e desejam comparecer às urnas em 2024, mesmo tendo o voto facultativo, encerra-se na mesma data.


Sem chance

Conforme a legislação eleitoral (Lei nº 9.504/1997), nenhum pedido de inscrição eleitoral ou de transferência será aceito nos 150 dias que antecedem a data da votação, que ocorre no dia 6 de outubro.


Mutirão

A Justiça Eleitoral de São Paulo (TER/SP) anunciou que os cartórios e postos que oferecem os serviços eleitorais estarão de portas abertas ao público no feriado do Dia do Trabalho (1º) e no sábado (4) e domingo (5). No feriado de 1º de maio e no primeiro fim de semana do mês (4 e 5), o horário de atendimento será das 11h às 17h.


Marcha à ré

O secretário de Segurança Pública (e deputado federal licenciado) Guilherme Derrite teve de recuar. Ele havia anunciado a autorização para que a Polícia Militar pudesse registrar ocorrências menos graves, dispensando o trabalho da Polícia Civil.


Tempo

A justificativa do secretário até que fazia sentido. Derrite alegou que os PMs, registrando eles mesmo as ocorrências de pequeno porte, estariam dispensados de dirigir-se à Delegacia de Polícia Civil. Economizariam tempo e, portanto, permaneceriam mais tempo nas ruas.


Peraí

A reação da cúpula da Polícia Civil e do Ministério Público atingiu tantos decibéis que o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) mandou pôr o pé no freio. Para não queimar de vez o secretário, o Governo do Estado criou uma comissão para analisar o assunto. Chutão Ou seja, o governador deu um chutão na bola e recuou para arrumar o time. A intenção, segundo os próximos no assunto, é receber o relatório da comissão daqui uns meses e, quando ninguém estiver olhando, mandar a ideia para o fundo da gaveta.


Eu e eu

Mais do que uma questão corporativa, a grita dos velhos tiras e dos novos promotores de Justiça tem bases legais. Em casos de desobediência, resistência e desacato, por exemplo, o próprio agente policial apareceria ao mesmo tempo como vítima e julgador.


Valeu...

Como diz o filósofo, o caminho do inferno está pavimentado de boas intenções.


Márcio Yamamoto, jornalista e consultor político, especial para a TRIBUNA

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page