top of page

A estreia da Banda União foi numa Páscoa

Ela está comemorando 126 anos de fundação e vai apresentar-se na procissão da próxima sexta-feira




No último dia 13 a Corporação Musical União completou 1 2 6 anos de fundação. É uma história de muita luta e de muita música.


Ao longo do ano passado, a TRIBUNA trouxe várias matérias alusivas à comemoração dos 125 anos da banda, algumas das quais abarcaram novas visões sobre a sua origem e suas primeiras apresentações.


Origem política

A Banda União foi fundada meses antes das eleições municipais de outubro de 1898. Dentre seus fundadores estava o então coletor estadual Evaristo Rodrigues de Arruda, irmão mais novo de José Rodrigues de Arruda, que em 1892 foi eleito intendente de Porto Feliz (equivalente a prefeito) naquele que foi o primeiro pleito eleitoral do período republicano na cidade.


Pleito este que foi marcado por uma clara divisão dos políticos locais em duas alas: uma, perdedora, que se julgava legitimamente republicana e outra, acusada por esta última de “sebastianista”, mas que saiu vencedora daquelas eleições.


Adolpho Brand

E assim também foi no pleito seguinte, com a eleição do farmacêutico Adolpho Brand para a intendência municipal. Em 1898, Brand concorreria novamente. Então, possivelmente como uma medida equitativa, já que a oposição tinha como elemento representativo a Banda Euterpe, a Banda União foi formada.


Sendo essa a intenção, ela teve êxito. Brand foi reeleito e, em 1900, paralelamente à intendência municipal, ele assumiu a presidência da Banda União. Esses fatos sugerem que a fundação da banda não foi apenas um movimento cultural, espontâneo, de um grupo de músicos amigos, mas também uma ação política.


Ata

De todo modo, assinaram a ata da criação da Banda União o Capitão Evaristo Rodrigues de Arruda (diretor); Manoel José de Calazans (secretário e maestro) e Lourenço Rogado (contramestre); Francisco Paes de Arruda, Adelino Gomes de Oliveira, Lourenço de Almeida Mello, Antonio Rogado Filho, Pedro “Fogueteiro” Martins de Arruda, Antonio de Toledo Piza, Francisco “Chico de Cristina” de Arruda Campos, Américo Antonio de Paula, Bernardino Gomide Machado, Francisco de Almeida e Augusto Liza de Oliveira (músicos).


1ª apresentação

Por muito tempo acreditou-se que a primeira apresentação da Banda União foi aquela contratada pelo Sr. Bento da Silveira, que festejava a conquista de um prêmio na Loteria Paulista. Entretanto, um documento encontrado ano passado mostrou que o sorteio que premiou o porto-felicense ocorreu apenas no dia 12 de maio de 1898.


Dessa forma, a primeira apresentação conhecida da Banda União passou a ser a do dia 9 de abril de 1898, um Sábado de Aleluia. Desse modo, a época da Páscoa passou a ter um destaque especial para a Banda União.


A ocasião desta primeira apresentação foi a festa da Malhação de Judas que aconteceu em frente ao prédio do Museu, na Praça Cel. Esmédio. Mas não foi uma apresentação tranquila: segundo o relato do músico fundador Pedro Martins de Arruda, os músicos da banda sofreram um ataque de músicos rivais.


Quermesse

No mês seguinte, em 3 de maio, a banda se apresentou na quermesse da festa de Santa Cruz, que se realizava na área da igreja de mesmo nome, que se situava em um terreno primitivo que por sua vez, nos fundos fazia fronteira com o cemitério velho e a frente era na atual Rua Santa Cruz, na esquina oposta à da escola Cel. Esmédio. Porém, uma vez mais, a banda teve problemas: ainda segundo Pedro Martins de Arruda, a apresentação só foi possível após a intervenção de uma força policial.


Sexta-Feira Santa

Fazendo jus à época de sua primeira apresentação pública, no próximo dia 29 a Banda União participará da tradicional Procissão do Senhor Morto, que partirá às 19h da Igreja Matriz de São João Batista (Vila Progresso) com destino à Matriz de Nossa Senhora Mãe dos Homens (Centro).




46 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page